quinta-feira, 5 de julho de 2007

Minto

Minto
Não porque queira,
Mas porque às vezes é preciso
Não porque goste,
Mas porque a verdade
Aos ouvidos de muitos não soa bem
Minto
Porque não sou perfeito
E tenho maldade em mim
Minto
Porque penso que sei
O que é o melhor para os outros ouvirem,
Porém eu mesmo não sei o que é o melhor
Para mim.

José Rosa (ZeRo S/A)

7 comentários:

Sandra Regina de Souza disse...

às vezes, parece inevitável mentir... Você fez isso muito bem!!..rs... beijos

Vivi disse...

Adorei!! Me sinto desse jeito..é impressionante como vcs poetas sabem colocar pra fora os sentimentos...Tb minto....Acho q todos nós mentimos...E o sentimento q vem depois da mentira me incomoda...Beijão

touché disse...

não dizem que o poeta é um fingidor ? dito assim em poesia,a mentira parece glamourosa.fora da poesia ,depende de quem mente e do que se diz. Gostei do blog,tb sou de Guarulhos e tb tenho um blog de poesias.Mas acho que vcs já conhecem. Um abraço,paz,poesia e boa semana. Touché

moacircaetano disse...

Essa eu ouvi ao vivo, da própria voz do autor!
Foi muito bom o sarau!
Abraço, Pai Zé!

Ramon Alcântara disse...

E ás vezes nós mentimos sem saber, e vivemos, acreditamos naquilo... sério.... inventaram um detector de mentira desapercebida: sociedade. Os feedbacks nos mostram. E as percebidas.... em prol do Caos, que mais do que nunca, é necessário... Minta. Pergunte qual a mentira, por vezes, para não se enganar. Abz em ti Zero.

Ramon Alcântara disse...

Ady kd seu blog, menina? Sumiu...

Jefferson disse...

Heheheheheheh...

É que as pessoas não sabem
o que lhes é melhor
Elas nem mesmo sabem
o que é a verdade
Elas só sabem
o que querem ouvir
Então,
neste caso,
por que não mentir?