quarta-feira, 26 de dezembro de 2007

Verdadeiro

Amei você
Sem o seu consentimento.
Nem sei
Se isto é verdade,
Mas é fato.
Indefinido sentimento
Como tudo deve ser:
Sem definição.
Nada de pieguice
Talvez real Romantismo
No melhor sentido.
Tolo
Na devida proporção
Ridículo,
Mas consciente
Da minha situação.
Acima de tudo,
Verídico,
Leal,
Platônico.

José Rosa (ZeRo S/A)

3 comentários:

Sandra Regina de Souza disse...

Zé!! Lindo este seu "verdadeiro" amor!! Amei o poema.. acho que vou pegar emprestado, posso?/ Beijossss

Lidiane disse...

Nossa, menino!
Você anda inspiradíssimo esses tempos.
Será que o bichinho da paixão contaminou você, hum?

Beijo na bochecha. ;)

Kátia disse...

Como fazer apenas um comentário de um poema que expressa os mais profundos sentimentos da alma?
Difícil entender o ser humano, mais difícil ainda entender seus sentimentos... Não se explica o inexplicável, mas você consegue atingir através de suas palavras os desejos escondidos, guardados ou reprimidos pelas fraquezas do coração. Desejos de dizer o que sentimos deixando de lado a hipocrisia e livre a imaginação!
José Rosa! Nunca deixe que sua estrela apague-se, pois seu brilho alegra meu coração.
Seus poemas são lindos!
Beijos de quem o admira muito!