quarta-feira, 2 de janeiro de 2008

Inteligência Burra

Inteligência
Para que me serve,
Se não sei como usá-la?
Mas não será falta dela
Não saber isto?
Se for,
Então eu não a tenho,
Porém questionar
É uma forma de inteligência.
Então a tenho.
Mas quando as respostas
Não se encontram, o que é então?
Já não sei.
Talvez seja eu
Um burro em ascensão?
Com certeza não.
Sou um inteligente
Sem competência

José Rosa (ZeRo S/A)

2 comentários:

Carlos A Segantin disse...

Zé.. essa inteligência está muito complexa para minha inteligência, que já nem sei se tenho... depois desse poema... hehehe...
Belo jogo com as palavras, uma brincadeira com a inteligência...

Até mais... um abraço.

moacircaetano disse...

hehehe...