segunda-feira, 17 de março de 2008

Uma Noite Após A Perda De Uma Paixão Platônica (Março/1991)

Quando um olhar
Parece entorpecente,
Satisfaz momentaneamente,
Enquanto a angústia
Da solidão companheira
Crava suas unhas
Na alma impotente
Pelo fato da razão onipotente,
Que sempre justifica magistralmente,
A fraqueza
Do coração extremamente doente,
Que é eterna,
Que é para sempre

José Rosa (ZeRo S/A)

Um comentário:

touche disse...

saiba, eu entendo essa situação...a gente se sente realmente impotente ,quando é abandonado, a gente perde o chão..achei ironico tb o titulo: perda de uma paixão platonica.
abraços. boa semana