sábado, 12 de abril de 2008

Esclarecimento

Quando você chegou para mim
Dizendo que me amava
Disse-lhe que não acreditava,
Pois quem sente não fala.
Você olhou-me atônita
Comentando algo sobre minha insensibilidade
Eu lhe disse: Quem sente não falha!
E acrescentei um ponto final.
Tudo mais depois
Foi um imenso silêncio esclarecedor

José Rosa (ZeRo S/A)

4 comentários:

Sandra Regina de Souza disse...

Dói ler às claras... às vezes, é mais fácil viver sem entender...
(Saudade, moço...)
Beijos

Placa de Vídeo disse...

Hello. This post is likeable, and your blog is very interesting, congratulations :-). I will add in my blogroll =). If possible gives a last there on my blog, it is about the Placa de Vídeo, I hope you enjoy. The address is http://placa-de-video.blogspot.com. A hug.

touche disse...

Cachorro que late não morde ? poema interessante. O poeta vê de um modo diferente,é outra ótica.
abraços.
touché
http://poetasdeguarulhoseoutrosversos.zip.net

Ramon Alcântara disse...

Isso foi um ato falho? fala, falha..... abz