domingo, 31 de agosto de 2008

Momentos e Eternidade

O romantismo exige belas palavras
Súplicas e juras de amor eterno
Floreios e galanteios,
Entretanto quando nos amamos
Você sentada no meu colo,
Mexendo-se e fazendo meu falo explodir
Perco a compostura e a elegância
E lhe faço reverências verdadeiras para o momento:
Você é puta!
Você é minha puta!
E só depois de acalmados os ânimos
Romântico padrão volto a ser
Sussurro no seu ouvido : Te amo!
E tenha certeza
Que eu sempre te amo.

José Rosa ( ZeRo S/A)

4 comentários:

moacircaetano disse...

Um ótima metamorfose!

CAL disse...

Original... Fala tudo sobre o que na intimidade todos escondem...

Denise disse...

Uauuuuuuuuuuuuuuuuuuuu!!
rsrsrsrs

Sandra Regina de Souza disse...

CARAMBA!!!! Muito bom, Poeta-amigo-cúmplice!! Eu é que sinto orgulho de ter dividido o momento contigo: obrigada sempre! beijosss