segunda-feira, 15 de setembro de 2008

Falsas Palavras (Março/1991)

Se de alguma forma
Pudesse eu detectar
A verdade ou a mentira em suas palavras
Talvez eu me matasse
Para nunca mais sentir o gosto da dúvida.

José Rosa (ZeRo S/A)

5 comentários:

Lidiane disse...

Nossa, nossa, nossa.
Que drama, hum?

Beijo, menino bonito.

J.F. de Souza disse...

Ah, o fel da dúvida...

J.F. de Souza disse...

...e a fé insossa...

Ramon Alcântara disse...

A dúvida meu caro amigo.... a dúvida.... ontológica, como a palavra, a verdade e a mentira... e a prosa..... veja mais sobre a dúvida em Ann Nothing.


abzzz

Sandra Regina de Souza disse...

Eu odeio ser a "última a saber"...rs...
Bonito, profundo o poema: caiu bem aos meus olhos duvidosos... beijos