quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

Estorvo

O vento
No meu rosto:
Frescor.
Um cisco
No meu olho:
Estorvo.

José Rosa (ZeRo S/A)

3 comentários:

J.F. de Souza disse...

Caríssimo Zé... Eu tava com algo assim na mente pra escrever hoje... No fim, não saiu assim leve como o teu... Você verá no domingo, no B7C.

1[]!

Paulo Pinto disse...

Não entendo o poema, que para mim ou é demasiado simples, árido, ou porventura tão complexo que não o compreendo mesmo.
Quero acreditar que a falha está em mim.

Sandra Regina de Souza disse...

e incomoda mesmo...rs...bj