sábado, 8 de janeiro de 2011

Balancete Anual (Dezembro/2009)


Dois mil e pouco de dívidas no cartão de crédito,
Mais um tanto igual no cheque especial.
Uma paixão não correspondida,
Seis noites sem dormir por conta disso.
Algumas conquistas românticas,
(meu cavalheirismo impede-me dar números).
Outros tantos foras,
(meu orgulho ferido impede-me dar números).
Zero contusão no futebol.
Vinte e seis gols – sendo um golaço:
Dois defensores tirei com um só drible,
A bola no canto direito; contrapé do goleiro.
Zero valorização no trabalho,
Vinte e poucos sapos engolidos,
Duas crises de ansiedade,
Uma consulta ao psiquiatra.
Dois funerais e um casamento.
Um batizado também.
Duas dezenas de poemas novos,
Meia dúzia de mini-contos.
Uma dúzia e meia de livros lidos.
Três bebedeiras,
Três ressacas: uma foi moral.
Um ano a mais do meu Palestra na fila.
Um sarau, zero cinema, zero balé.
Quatro feriados na praia ao sol,
Zero noite de luar.
Centenas de outras coisinhas que é melhor não computar.
Enfim, o ano no vermelho terminando.
Mais 365 dias assim e concordata terei que pedir.

José Rosa

2 comentários:

Sandra Regina de Souza disse...

Muito bom! Espero que tenha errado toda matemática negativa e que o saldo seja na verdade de esperanças incontáveis! beijo

M. [doc] B. disse...

Ah se esse cavalheirismo n existisse... Queria saber o que seria acrescentado neste Balancente! hehehehe

Belas palavras!

(: