quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Comunhão

Tua boca não vacila e
Tuas mãos carinhosamente firmes
Me direcionam a ela.
Falo
Gula - pecado capital.
Tua boca me prende - conexão.

Em libidinosa penitência
Ajoelhada em devoção a mim,
Te ofereço minha hóstia e
Recebes agradecida.
Nossa comunhão.

7 comentários:

Denise disse...

Que delícia de comunhão! :)
Adoreeei !
como sempre voce é demais !:)
Beijão!

marcelo disse...

gozada esta hóstia consagrada...

Roy Andrade disse...

Ó quanta devoção ... conexão banda larga ... comununhão de bens ... abraço

Roy Andrade disse...

*** comunhão de bens ...

Antonio disse...

belo poema..sensível e sensual..a paixão é uma ponte que permite ao mundo visível ir ao invisível..grato pelas suas visitas..abraços e boa semana
touché
http://poetasdeguarulhoseoutrosversos.zip.net

Nando Sobral disse...

Fala Mané, que sacanagenzinha poética rs.

Abraço

sandra disse...

Este sim me fez sentir "inveja do falo"... Maravilhoso!!